Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) para o ano de 2050, a expectativa de vida para as pessoas com mais de 60 anos aumentará em 77%. Um dos efeitos colaterais desta extensão da expectativa de vida será o aumento da prevalência de doenças associadas com a idade, entre as quais se destacam patologias de declínio cognitivo, como perda progressiva da memória, mal de Alzheimer, doença de Parkinson ou demência senil. Por essa razão, torna-se mais importante do que nunca, o desenvolvimento de técnicas para prevenir, retardar e atenuar os efeitos do declínio cognitivo. Tecnologia Utilizando para isso o computador ou as técnicas de realidade virtual, pode contribuir decisivamente para evitar este declínio cognitivo leve, de acordo com um artigo recente publicado na revista " The American Journal of Geriatric Psychiatry, que analisou um total de 16 desses trabalhos com o objetivo de avaliar a eficácia deste tipo de intervenção com pessoas idosas. Hanna Coyle e suas colaboradoras, autores desta revisão, apontam que, de forma geral, a atenção, as funções executivas e a memória são as áreas que mais benefícios que obtêm deste tipo de treinamento. Além disso, este tipo de programas produz outros efeitos, como a redução da sintomatologia por depressão e ansiedade. Os benefícios destas terapias são tão evidentes que até mesmo são eficazes mesmo que se levem a cabo durante pouco tempo. Além disso, os resultados apontam na direção de uma manutenção a longo prazo dos benefícios. Igualmente, o uso continuado de tecnologia cotidiana já contribui positivamente contra o declínio cognitivo. Assim, o uso do computador permite trabalhar processos cognitivos variados como a velocidade de reação, a inibição de respostas ou a vacância de distrações. Por sua parte, os celulares de última geração e tablets, que representam um manuseio mais fácil para as pessoas idosas, também oferecem benefícios semelhantes. No âmbito do smartphone e tablet, algumas aplicações recomendadas para a estimulação cognitiva são as seguintes: Jogos mentais. Disponível no Google Play. É uma app que contém até 6 jogos que permitem a você trabalhar várias habilidades mentais: memória, raciocínio, concentração, inteligência espacial, observação, etc. Coach Memory! Brain trainer. Disponível no Google Play. É uma aplicação de Brain Training idealizada para treinar capacidades mentais como a memória, a atenção, a velocidade, a flexibilidade, a decisão e a capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo. Está disponível em inglês, espanhol e alemão. Joggit Memory. Disponível no iTunes. É uma aplicação do tipo memory desenvolvida por uma empresa, Mobile Waza, que se compromete a fazer doações trimestrais para a Alzheimer Association para ajudar na luta contra a doença de Alzheimer. Fits Brain Trainer. Disponível no iTunes. É um aplicativo que inclui mais de 360 sessões de treinamento mental, que colocam à prova a memória, a agilidade mental, a concentração, a capacidade de dedução e a percepção visual da pessoa que joga. Feedback tecnológico Outra importante vantagem da estimulação cognitiva através da tecnologia é que fornece um feedback (feedback) imediata para o usuário. Além disso, este feedback pode monitorar em directo por parte dos especialistas, graças a dispositivos que detectam o padrão de atividade cerebral. Os procedimentos de neurofeedback, que até agora só foram acessíveis em contextos de investigação, podem aplicar-se agora com o objetivo de modificar o padrão de ondas cerebrais que afeta os idosos. Mesmo em pouco tempo poderemos ter de capacetes de electroencefalografía confortáveis e fáceis de instalar, na sede dos usuários. Outras dicas Além de usar as novas tecnologias para se manter em uso nosso cérebro, há outras dicas que podemos continuar a levar a cabo para prevenir as doenças neurodegenerativas. As principais são: Manter uma dieta equilibrada e, de preferência, baixa em gorduras saturadas Fazer exercício Evitar o excesso de peso Evitar o estresse Não fumar Evitar ou moderar o consumo de álcool