Informações gerais e bula para Metcort.
  • Princípio Ativo: Acetato de dexametasona + Sulfato de neomicina
  • Laboratório: Delta
  • Preço inicial: R$R$ 11,30

Para que serve Metcort?

Indicado no tratamento local adjuvante dos seguintes distúrbios nasais: - Rinites alérgicas agudas e crônicas (incluindo a febre do feno). - Rinite vasomotora. - Rinite alérgica com pólipos. Infecções bacterianas e lesões inflamatórias da pele (dermatite esfoliativa, dermatite herpetiforme bolhosa, dermatite seborréica grave, pênfigo, psoríase grave, dermatoses, ulcerações).

Contra indicações para Metcort

Hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula. Infecções fúngicas sistêmicas e vacinas de vírus vivo. Gravidez. Hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Portadores de tuberculose pulmonar ou cutânea. Infecções tópicas ou sistêmicas (vacínia, varicela e herpes simples), úlcera péptica, osteoporose e diabetes mellitus. Gravidez e lactação.

Como tomar Metcort?

Aplicação tópica 2 a 4 vezes ao dia; se necessário cobrir o Iocal com um curativo poroso (gaze).

Composição Metcort

Precauções e reações adversas da Metcort

A redução gradual da posologia é necessária para se evitar o aparecimento de insuficiência adrenocortical secundária, acarretando redução do nível de defesa contra infecções, que podem resultar da retirada muito rápida do medicamento. Devido à presença de sulfato de neomicina no creme dermatológico, o seu uso por tempo prolongado pode favorecer o crescimento de microrganismos não sensíveis, incluindo fungos. Medicamentos imunossupressores podem ativar focos primários de tuberculose. Os médicos que acompanham pacientes sob imunossupressão devem estar alertas quanto à possibilidade de surgimento de doença ativa, tomando, assim, todos os cuidados para o diagnóstico precoce e tratamento. Uso em crianças As crianças de qualquer idade, em tratamento prolongado com corticosteroides, devem ser cuidadosamente observadas quanto ao seu crescimento e desenvolvimento. Por isso o uso em crianças menores de 6 anos de idade só é aconselhável quando não houver alternativa Uso na gravidez e lactação O uso de Acetato de Dexametasona + Sulfato de Neomicina (substâncias ativas) em mulheres grávidas não é seguro, portanto, recomenda-se que nestes casos seja feita uma avaliação pelo médico da relação risco/benefício. Gravidez - Categoria de risco C: Não foram realizados estudos em animais e nem em mulheres grávidas; ou então, os estudos em animais revelaram risco, mas não existem estudos disponíveis realizados em mulheres grávidas. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. Durante o período de aleitamento materno ou doação de leite humano, só utilize medicamentos com o conhecimento do seu médico ou cirurgião-dentista, pois alguns medicamentos podem ser excretados no leite humano, causando reações indesejáveis no bebê. Os corticosteroides são excretados no leite materno e podem, além de outros efeitos indesejáveis, inibir o crescimento do lactente, portanto, mulheres na fase de lactação não devem fazer uso do medicamento. O uso deste medicamento no período da lactação depende da avaliação do risco/benefício. Quando utilizado, pode ser necessária monitorização clínica e/ou laboratorial do lactente. Uso por idosos O uso em pacientes idosos (acima de 60 anos de idade) requer prescrição e acompanhamento médico. Normalmente o uso adequado de Acetato de Dexametasona + Sulfato de Neomicina (substâncias ativas) não provoca reações adversas sistêmicas, exceto quando aplicado em áreas extensas e por longo período. Ao classificar a frequência das reações, utilizamos os seguintes parâmetros: Reações muito comuns (>1/10); Reações comuns (>1/100 e Reações incomuns (>1/1.000 e Reações raras (>1/10.000 e Reações muito raras ( Reações Comuns Dermatite, foliculite, prurido da pele, púrpura, infecção da pele, atrofia cutânea, ardência da pele e telangiectasia. Reações raras Erupção acneiforme, alopecia, urticária, pele seca, eritema, hirsutismo, hiperestesia, estrias, hipopigmentação, ulcerações e irritação da pele. Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária – NOTIVISA, disponível em www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

O que fazer em casos de superdosagem de Metcort?

Interações medicamentosas Metcort

Os corticosteroides utilizados por via dermatológica podem ser absorvidos e causar as mesmas interações correspondentes a seu uso sistêmico. Tratamentos prolongados e/ou em áreas muito extensas bem como curativos oclusivos são condições que propiciam uma maior absorção. Os medicamentos abaixo podem interferir com a ação terapêutica dos corticosteroides: Anfotericina B; Ácido acetilsalicílico; Anticoagulantes como, por exemplo, a varfarina; Diuréticos como, por exemplo, a espironolactona e o triantereno; Indometacina; Anticonvulsivantes como, por exemplo, a fenitoína e o fenobarbital; Rifampicina; Talidomida.

Ações das substâncias em Metcort

Resultados de eficácia A psoríase leve a moderada pode ser controlada com terapia tópica; no entanto, a terapia tópica deve ser administrada com terapia adjuvante no tratamento da psoríase grave e prolongada. Pesquisa com glicocorticoide é um processo contínuo, com o desenvolvimento de agentes terapêuticos hiperseletivos que atuam em diferentes fases da resposta inflamatória da psoríase. O tratamento deve ser adaptado de forma individual, a prescrição para cada paciente, o veículo mais adequado. Apesar de pomadas serem clinicamente mais eficazes em sintomas da psoríase, o que realmente importa é o desejo do paciente, e a maneira como ele adere ao tratamento dermatológico. Cada paciente vai aderir "melhor" para veículos diferentes, alguns preferem pomadas, outros gel ou spray, e outros preferem oclusão. Uma supervisão ajustada durante o tratamento com corticosteroides dermatológicos, dando suporte e respostas às preocupações do paciente devem ser fornecidas, e isso pode fazer a diferença entre um tratamento bem sucedido e um agravamento da doença. Os antibióticos de uso dermatológicos são amplamente utilizados em dermatologia para uma variedade de indicações. Alguns dos usos mais frequentes são apoiados pela quantidade razoável de evidências científicas, enquanto outros são baseados em apoio anedótico, julgamento clínico, ou hábito com base no dogma reciclado que não são suportados por dados científicos. As alterações microbiológicas induzidas por uso tópico de antibióticos indicados por considerações médicas apoiam o conceito de que os antibióticos devem ser utilizados criteriosamente. Não há antibiótico tópico perfeito, e, portanto, pesquisadores e clínicos devem permanecer vigilantes para detectar resistência aos padrões e estabelecer o regime de tratamento ideal. Características farmacológicas A dexametasona é um glicocorticoide com potente ação anti-inflamatória, imunossupressora, antialérgica e anti-pruriginosa. Atua inibindo a resposta inflamatória através de vários mecanismos: inibe a mobilização de neutrófilos e macrófagos para a área afetada; induz a síntese de uma proteína inibidora da fosfolipase A2, ocasionando assim diminuição na formação de prostaglandinas, substâncias fundamentais para o processo inflamatório; inibe a síntese da enzima responsável pela formação da fibrinolisina, substância que por hidrolisar a fibrina e outras proteínas facilita a entrada de leucócitos na área de inflamação. Por antagonizar os processos inflamatórios, a dexametasona proporciona rápido alívio da dor em processos de origem reumática e/ou traumática. A neomicina é um amigoglicosídio, com ação geralmente bactericida. Inibe a síntese de proteínas em bactérias susceptíveis por ligação irreversível à subunidade 30S dos ribossomos. Em geral, é ativa contra muitas bactérias gram-negativas (exceto Bacteroides spp. e Pseudomonas aeruginosa) e algumas gram-positivas aeróbicas (exceto Staphylococcus aureus). É ineficaz contra fungos, vírus e a maioria das bactérias anaeróbicas. Entretanto, diferentes espécies e diferentes cepas de uma mesma espécie exibem grande variação na susceptibilidade in vitro. Além, disso, a susceptibilidade in vitro não se correlaciona sempre com a atividade in vivo. Pode ser absorvida através da pele inflamada, e uma vez absorvida é rapidamente eliminada de forma inalterada através dos rins, com meia-vida em torno de 2 a 3 horas: sua ação se deve à inibição da síntese de proteína do microrganismo suscetível. O creme é uma preparação hidrófila, permeável às secreções, que não interfere na regulação térmica e exerce uma ação refrescante.

Como armazenar, guardar, Metcort?

Dizeres legais Metcort