Você sabe qual é a melhor alternativa para adotar uma vida mais saudável?, a chave está, segundo confirma o estudo ANIBES, em saber qual é o nosso balanço de energia e aplicá-la no nosso dia-a-dia de forma adequada, os resultados que se darão a conhecer esta próxima quarta-feira, 17 de dezembro no Colégio Oficial de Médicos de Madrid. . A relação entre a quantidade deenergía que tenhamos consumido, ou seja, o grau de calorias que ingerimos ao longo do dia através de nossos alimentos sólidos ou líquidos, e do percentual de calorias gastas, isto é, as reservas que o nosso organismo utiliza e considera necessárias para empreender cada uma das atividades de sua vida diária é o que se conhece como balanço energético. O simples fato de conhecer esse balanço, e aplicá-lo de forma adequada em nossa vida nos ajudará a prevenir os níveis de obesidade, que hoje se mostram preocupantes em nossa sociedade e adotar uma vida mais saudável. A própria OMS chegou a determinar o ano passado que o grau de obesidade na população tinha alcançado "proporções epidémicas" em todo o planeta, até o ponto de que se considerava a morte de cerca de 2, 6 milhões de pessoas a cada ano por causa da obesidade ou excesso de peso. O fato de obter o cumprimento do balanço energético adequado é um dos objetivos que o chamado Estudo ANIBES de Antropometria, Consumo e Balanço Energético em Portugal, cuja missão será a de analisar cuidadosamente o consumo e gasto energético de macronutrientes em nossa vida diária, assim como dados de interesse sobre o comportamento alimentar. Os referidos macronutrientes, como carboidratos, lipídios e proteínas são aqueles que nos dão a maior parte da energia metabólica que nosso organismo precisa para funcionar a cada dia. Igualmente, neste estudo, se incluem hábitos alimentares saudáveis e uma série de diretrizes que devemos incluir em nossa atividade física diária. A energia que nosso organismo precisa para funcionar a cada dia está representada em que nos fornecem os alimentos na forma de calorias contidas em nutrientes, como os carboidratos, como batatas, legumes e cereais, gorduras que encontramos em óleos, manteiga, margarina ou creme de leite e outras mais sutis, como as de carnes e frutos secos. Por isso, os atletas que geram um gasto de energia durante a realização desta atividade devem seguir uma dieta que cubra este desgaste. Para alcançar esse equilíbrio energético, do ponto de vista do exercício, não é necessário realizar grandes esforços físicos, como você pode supor um esporte contínuo, mas introduzir certos hábitos simples, como apostar por andar mais no dia a dia ou evitar as escadas rolantes. Os resultados do estudo ANIBES, que aproveita ao máximo todo o potencial das novas tecnologias, como tablets ou similares para determinar com precisão as suas conclusões, são apresentadas na conferência de imprensa que terá lugar na próxima quarta-feira, 17 de dezembro, às 18 h, no Colégio Oficial de Médicos de Madrid, mais concretamente na rua de Santa Isabel. A apresentação destes resultados, que correrá a cargo do Professor Gregório Varela-Moreiras (presidente da Fundação Espanhola de Nutrição), contará com a presença de especialistas como a professora de nutrição Rosa Maria Ortega, o professor de bioquímica e biologia Molecular da Universidade de Granada ou o professor Lluis Serra-primeiras são, professor de Medicina preventiva e Saúde Pública.