Se há alguns anos as tatuagens e os piercings ficavam deixadas a determinadas tribos urbanas, atualmente são muitas as pessoas de diferentes idades, condições e classes sociais que têm na sua pele projetos e brincos. Uma das áreas mais necessárias para realizar as perfurações ou piercing é a boca: a língua e o lábio inferior são os lugares mais procurados para usar um brinco, mas também podem ser feitas em lugares tão inusitados, como os frenillos bucais. Coisas que você deve saber antes de fazer o piercing O faça onde o faça, é um processo doloroso: ao fim e ao cabo, não deixa de ser uma perfuração em seu corpo. Tanto a língua como o lábio são partes do nosso corpo extremamente sensíveis, pelo que é muito possível que sinta dor e que se inflamam depois de colocar o brinco (por isso, em um primeiro momento se colocam brincos maiores do que o habitual, que terá que mudar algumas semanas depois, quando a inflamação tenha diminuído). Escolha bem o lugar de seu corpo o que quer realizá-lo e escolha um profissional de confiança para fazer a perfuração. Devem sempre trabalhar com material esterilizado e com agulhas especiais para piercing (as mais comuns são as agulhas tribiseladas e soco), que nos garantem um resultado perfeito. Como cuidar do piercing uma vez está feito Se o seu idioma ou o seu lábio se inflamam durante os primeiros três ou quatro dias, não se assuste: é algo bastante comum no processo de cicatrização. Sim, deve ter sua limpeza bucal durante as primeiras semanas: lembre-se de escovar os dentes depois de cada refeição e, como mínimo, três vezes ao dia, e use sempre uma escova macia e de cerdas macias e um enxágue bucal anti-séptico, como a clorexidina. Durante os primeiros dias é recomendado não fumar, comer pastilha elástica ou beber álcool para evitar as possíveis infecções de perfuração. Tenta comer pouco a pouco, sem introduzir grandes quantidades de alimentos em sua boca, e mantenha-se bem hidratado, bebendo cerca de dois litros de água por dia. As possíveis complicações dos piercings bucais A complicação mais frequente quando falamos de piercings bucais é a inflamação das gengivas ou recessão gengival: são comuns nos portadores de piercing labial, que estão em contato direto com as gengivas, e pode provocar a mobilidade dos dentes e até mesmo a perda a longo prazo das peças dentárias. Outra das complicações causadas pelo piercing na boca é a ruptura de peças dentárias devido aos choques que ocorrem ao "brincar" com o piercing dentro da boca. Podem ocorrer tanto em pequenas fraturas no esmalte como outras de maior importância na coroa do dente, que implica uma reconstrução dental bastante dispendiosa. No caso de piercing lingual, é possível que a perfuração afecte a língua a nível nervoso ou até mesmo modificar nossa forma de perceber os sabores.